sexta-feira, 28 de setembro de 2012

7° ETAPA WCT - QUIKSILVER PRO FRANCE - SEIGNOSSE - HOSSEGOR - CAPBRETON - ST JEAN DE LUZ - 28 DE SETEMBRO A 8 DE OUTUBRO DE 2012

 
RESULTADO:
  • 1° Kelly Slater (USA)
  • 2° Dane Reynolds (USA)
  • 3° John John Florence (HAW)
  • 3° Joel Parkinson (AUS)
  • 5° Miguel Pupo (BRA)
  • 5° Kolohe Andino (USA)
  • 5° Gabriel Medina (BRA)
  • 5° Kieren Perrow (AUS)
    
 
RANKING:
  • 1° Joel Parkinson (AUS) - 46.200
  • 2° Kelly Slater (USA) - 45.450
  • 3° Mick Fanning (AUS) - 43.000
  • 4° John John Florence (HAW) - 39.150
  • 5° Taj Burrow (AUS) - 31.900
  • 6° Adriano de Souza (BRA) - 31.150
  • 7° Owen Wright (AUS) - 27.150
  • 8° Josh Kerr (AUS) - 26.200
  • 9° Gabriel Medina (BRA) - 25.150
  • 10° Jeremy Flores (FRA) - 24.950
  • 
Assista ao vivo direto da França a 7° etapa do WCT
.
http://quiksilverlive.com/profrance/2012/live.pt.html

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

6° ETAPA WCT - HURLEY PRO - SAN ONOFRE STATE BEACH - LOWER TRESTLES - CALIFORNIA - USA - 16 A 22 DE SETEMBRO DE 2012

 
RESULTADO:
  • 1° Kelly Slater (USA)
  • 2° Joel Parkinson (AUS)
  • 3° Mick Fanning (AUS)
  • 3° Adriano de Souza (BRA)
  • 5° Taj Burrow (AUS)
  • 5° Adrian Buchan (AUS)
  • 5° Jordy Smith (ZAF)
  • 5° John John Florence (HAW)
  •  

 
RANKING:
  • 1° Mick Fanning (AUS) - 41.250
  • 2° Joel Parkinson (AUS) - 39.700,
  • 3° Kelly Slater (USA) - 35.450
  • 4° John John Florence (HAW) - 32.650
  • 5° Adriano de Souza (BRA) - 30.650
  • 6° Taj Burrow (AUS) - 30.150
  • 7° Josh Kerr (AUS) - 25.700
  • 8° Jeremy Flores (FRA) - 23.200
  • 9° Owen Wright (AUS) - 23.150
  • 9° Jordy Smith (ZAF) - 23.150
  •  

Assista ao vivo direto da California o WCT
.
http://www.hurley.com/hurleypro/live-portuguse.cfm

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

KELLY SLATER SAI DA FCS PARA INVESTIR NA SUA PROPRIA MARCA A KOMUNITY

O 11 vezes campeão mundial de surf, o estadunidense Kelly Slater, anunciou esta semana oficialmente sua saída da marca FCS de quilhas de encaixe. O atleta decidiu de forma "amigável" não renovar o contrato que tinha com a empresa há 15 anos para se dedicar a desenvolver novos conceitos através da sua própria marca de acessórios, Komunity.

 
 
Os modelos da FCS assinados por Kelly Slater são os campeões de vendas no mercado e a saída do atleta com certeza irá a provocar mudanças na empresa líder em venda de quilhas para o mundo.
 

Hoje os modelos como a K3, K2, e as Kfin, além das quadriquilhas, trouxeram o crescimento da marca FCS, que recém há dois ou três anos começa a perder mercado diante, de novos modelos de fixações como a Futures, além de marcas emergentes com a mesma qualidade tecnológica. De acordo com o contrato entre a empresa e Kelly, a FCS terá direito de vender os modelos assinados pelo atleta até agosto de 2013.
 
A Komunity produz grips, leashs, capas e acessórios diversos e começará a vencer quilhas no próximo ano, entanto somente depois de agosto de 2013 que a marca poderá utilizar o nome do atleta nas suas quilhas. Na gama de 2013 Kelly incorporou todo o seu “know-how” e a marca vai apresentar alguns produtos inovadores. A Komunity também irá incorporar vários atletas da elite mundial que querem integrar o time. Para conhecer mais da marca acesse: http://www.komunityproject.com
Fonte: Onda Gringa (www.ondagringa.com)


 

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

CANGA BOB

Canga Bob
Tamanho: 1,60m X 1,20m
Valor: 45,00
Contato: Wave Tools - Émerson (51) 8411-2753

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

JOEL TUDOR O JOVEM FEITICEIRO



Na metade final dos anos 80, o longboard é considerado coisa de velhos barrigudos que não tem mais braço pra remar. Eis que surge um menino, Joel Tudor, a mostrar que o longboard é uma arte cool e bela. E faz isso em pleno boom do surf profissional e ascensão do novo deus americano da época, Tom Curren.

Puerto Vallarta, México, 1986. Colocado pelo pai em cima de um pranchão, Joel, 10 anos, apaixona-se pela arte de caminhar até o bico e por lá permanecer. O garoto cresce vendo as manobras explosivas de Tom Curren, Occy, Carroll e Pottz, mas seu deus é o legend David Nuuhiwa e sua mensagem principal: Stay on the nose. Fique no bico.

Com 11 anos, o local de La Jolla, norte de San Diego, é descoberto pelo lendário havaiano Donald Takayama. Com as pranchas e orientação desse mentor, Tudor abala os campeonatos profissionais de longboard dos EUA. Aos 12 anos, torna-se o mais jovem vencedor de um campeonato na historia da ASP, em Oceanside. O ex-campeão mundial de pranchinha é um dos melhores longboarders da época. Nat Young, fica impressionado com sua classe. Praticamente adota o garoto e lhe consegue, dois anos depois, o patrocínio da poderosa Oxbow francesa, em 1990.

A liberdade proporcionada por um ótimo salário e um estilo de vida irresponsável quase arruínam Joel. O adolescente de 14 anos acredita que pode tudo. Adorador de armas, se mete num tiroteio com balas de tinta contra seus vizinhos. Um policial o detém e aponta uma arma para sua cabeça. Para segurar a onda sua família manda-o para a Austrália aos cuidados de Nat. Longe da neurose americana ele só se preocupa em surfar e aprender. “passamos muito tempo juntos para desenvolver e descobrir quem eu era. Nat tem o papel principal em minha vida, não seria quem eu sou sem ele”, revela Joel no mundial de 2001, em Saquarema, Rio.

No inicio dos anos 90, Tudor já é o melhor longboarder do planeta.

O batismo nas ilhas é aos 12 anos e os locais não aceitam aquele fracote cabeludo metido a surfar, num longboard. “Os locais me xingam e ameaçam me bater. Então, lá do fundo surgiu esse cara com uma tatuagem de um zíper no meio da testa e gritou, “calem a boca!”. Era Jay Adams (mito do skate). Ele veio me salvar”, lembrou Tudor.

Jay o protege porque seus antigos patrões na Zephyr (lendária loja/marca que lançou os jovens surfistas skatistas revolucionários de Dog Town, L.A., nos anos 70), patrocinavam Tudor como skatista. É, o fedelho também arrasava nas rodinhas e seria o único surfista da historia a ter um anuncio só seu, descendo uma ladeira, publicada na Trasher, bíblia do sk8. Jay também o respeitava pelo resgate do estilo clássico de surfar.

Joel seria ainda mais respeitado quando mostra andar bem em pranchinhas retro. Ganha admiração ao entubar com classe em Pipeline e botar pra baixo nas morras de Todos os Santos (México) e na Indonésia. Essa versatilidade vinha do seu quiver de mais de 30 pranchas, entre longboarders single fins, stubs, eggs, fishes e pranchinhas monoquilhas dos anos 60 e 70.

Em 1992, a Oxbow realiza seu primeiro mundial no mais tradicional palco do longboard europeu, Biarritz, França.Tudor é vice, atrás de Joey Hawkins. E seguiria sem vencer o mundial nos cinco anos seguintes enquanto seu estilo era venerado apenas no clássico Festival de Biarritz (pentacampeão, 1994 a 98).

A consagração só vem em 1998. Finalmente Tudor é campeão mundial, mas Ilhas Canárias. Depois dessa conquista, ele disputa ainda o mundial algumas vezes (vence de novo em 2004, em Biarritz), mas seu questionamento do julgamento (que procura equilibrar manobras clássicas com modernas) vai afastando-o dos campeonatos.

Business man. Em 1999, ele cria a Joel Tudor Surfboards após separar-se do amigo e mentor, Takayama, e depois comanda também as roupas de neoprene Amsterdam.

Joel sabe aproveitar, como poucos, o que o surf e a vida podem oferecer. Passa um bom tempo viajando (surf trips) ou em cada uma das três casas que possui uma na Califórnia (em Del Mar), uma no Hawaii (Maui) e a outra em Nova York. Ele assim pode surfar em seu pico preferido, Windansea (direita longa e consistente, esquerda mais curta e mais forte) e ficar perto do mercado do surf (na Califa).

E o artista faz tudo isso pilotando seus longboards como se caminhasse na areia da praia. Esse é Joel Tudor, um verdadeiro Merlin, mago feiticeiro das ondas. Para muitos, o maior longboarder de todos os tempos.
Fonte: Zé Augusto de Aguiar – Revista Hardcore N° 257 – (www.hardcore.com.br)


Informativo nº 260

 

Wave tools surf consertos (51) 8411-2753