quinta-feira, 29 de julho de 2010

STAND UP PADDLE (SUP)

Wave tools surf consertos (51) 8411-2753

STAND UP PADDLE (SUP)

A modalidade onde o surfista fica sempre em pé em cima de uma prancha, com o auxilio de um remo. Aí você pode pensar: “mas com o SUP os caras só caem quando o mar esta pequeno!” Enganam-se hoje as pranchas estão bem evoluídas e é possível surfar ondas grandes e cavadas como: Paúba e Teahupoo já foram surfadas por Carlos Bahia e Rodrigo Koxa, respectivamente.A galera do SUP fica bem mais no fundo, esperando pela melhor onda do dia, pois o equipamento permite isso. Essa situação já está causando desconforto na Califórnia, onde o SUP tem se difundido rapidamente e está tomando conta dos picos antes dominados pelas pranchinhas e pranchões. Como resultado disto é, conflitos acontecendo a todo o momento.

Todos sabem que os longboard têm vantagem no crowd e cabe a nos tomar cuidado para não fazer mal uso deste equipamento e assim serve também para o SUP. Nomes fortes do longboard profissional, como Amaro Matos, Luís Juquinha e Neco Carbone, além dos big riders Haroldo Ambrósio e Jorge Pacelli, têm se divertido muito com a modalidade e sabem exatamente como se portar em cima de suas pranchas. Utilizam seus longboards a remo com educação, curtindo sem interferir na diversão dos outros.

Lembre-se que seu direito termina quando começa o do outro!.
Fonte: (Revista Hardcore nº 236 – www.hardcore.com.br)

segunda-feira, 26 de julho de 2010

UCI - MTB - WORLD CUP - DHI 5 - VAL DI SOLE - ITÁLIA - 31 DE JULHO A 01 DE AGOSTO DE 2010

RESULTADO:
  • 1º Marc Beaumont (GBR) - 26 - 3:17:85
  • 2º Greg Minnaar (RSA) - 29 - 3:19:25
  • 3º Gee Atherton (GBR) - 25 - 3:20:51
  • 4º Andrew Neethling (RSA) - 26 - 3:21:08
  • 5º Steve Smith (CAN) - 21 - 3:21:98
  • 6º Steve Peat (GBR) - 36 - 3:22:03
  • 7º Danny Hart (GBR) - 19 - 3:22:14
  • 8º Samuel Blenkinsop (NZL) - 22 - 3:22:51
  • 9º Josh Bryceland (GBR) - 20 - 3:23:44
  • 10º Markus Pekoll (AUT) - 23 - 3:23:44

RANKING:

  • 1º Gee Atherton (Great Britain) - 25 - 1.434
  • 2º Greg Minnaar (South Africa) - 29 - 1.432
  • 3º Samuel Blenkinsop (New Zealand) - 22 - 998
  • 4º Aaron Gwin (United States) - 23 - 968
  • 5º Steve Peat (Great Britain) - 36 - 873
  • 6º Cameron Cole (New Zealand) - 22 - 804
  • 7º Brendan Fairclough (Great Britain) - 22 - 758
  • 8º Marc Beaumont (Great Britain) - 26 - 688
  • 9º Samuel Hill (Australia) - 25 - 620
  • 10º Justin Leov (New Zealand) - 26 - 583

Assista a 5 etapa da UCI direto de Val Di Sole na Itália
.
http://freecaster.tv/live/mtb/1011054/uci-mtb-world-cup-dhi-5-val-di-sole

domingo, 25 de julho de 2010

ROSTO PROTEGIDO DO SOL

Wave tools surf consertos

ROSTO PROTEGIDO DO SOL

Com o forte solaço destes países tropicais, onde os atletas permanecem até 5 horas na água, não há protetor solar que resista. Por isso, a maioria usa uma espécie de pasta de zinco. O produto adere e protege toda a pele e muitas vezes têm que ser removido com adstringente, porem é a única maneira de proteger o rosto totalmente dos raios solares. Existem alguns com efeito bronzeador e o mais conhecido é o da Sisheido.
Fonte: Revista Solto nº 54 (www.solto.com.br)

quarta-feira, 21 de julho de 2010

TOM CURREN

Wave tools surf consertos

TOM CURREN

É irônico o americano Tom Curren ter sido um dos primeiros surfistas de ponta a enveredar pelo lado mais soul do surf. Logo ele, criado como uma maquina competitiva da NSSA (National Schoolastic Surfing Association), no inicio da década de 80, um surfista de manobras mecânicas, executadas com perfeição, apoiado por pranchas espetaculares feitas por Al Merrick, que mudaram o conceito de atacar a onda.

Dono de uma linha de surf incomparável, moldada nas incríveis direitas de Rincon, Tommy possuía uma concentração única, que intimidava os adversários. Suas vitorias aumentaram a popularidade do surf nos Estados Unidos, atraindo verdadeiras multidões de fãs ávidos para ver o “Mr. America” em ação. Curren não decepcionou seus compatriotas ianques e faturou dois títulos mundiais consecutivamente, em 85 e 86, tornando-se o primeiro norte-americano numero um do mundo e quebrando uma hegemonia de seis anos de conquistas australianas. Porem, logo após a consagração, seu lado emocional frágil e sensível emergiu e ele começou a pôr em perspectiva tudo aquilo que fazia e conquistara.

Resolveu se fechar no seu mundinho e cada vez menos se importar com baterias e pressão.Essa fase durou três anos, quando de repente, do nada, voltou ao Circuito Mundial, vindo das difíceis triagens, para conquistar o tricampeonato em 1990, chocando a todos com performances estupendas, como se fossem intergalácticas. O tempo longe do cansativo Tour parecia ter renovado o espírito do Mestre do Estilo. Com o sucesso, as cobranças ficaram ainda maiores. E numa atitude ate hoje considerada mistura de imaturidade com genialidade e deboche, Tom Curren venceu seu único campeonato no Hawaii, em Haleiwa clássico, com ondas de 10 pés, com a prancha sem o logo do seu patrocinador. Numa performance que marcou época, Tom se livrava, talvez até sem querer, de todos os fantasmas que sempre o acompanharam.

Ali, se encerrava o mito Tom Curren campeão. Dispensando, abandonando e taxado como irresponsável, mais uma vez ele ficou recluso. O que poucos imaginavam é que um novo conceito de surf, incentivado logicamente pelo ex-patrocinador, tratou de recuperar Curren e usar sua imagem cool como o novo lema a empresa. Com o Slogan “The Search”, Tom uniu seus dotes artísticos e surfisticos e saiu rumo as melhores ondas do mundo, sem a preocupação de vitorias e pontos. Surfou pela primeira vez Jeffreys Bay, viajou com moleques talentosos e ansiosos para estar com uma das maiores lenda do esporte. Fez filmes, aumentou sua reputação de gênio e continua cultuado como o grande surfista de alma de sua geração. Tom Curren foi um dos maiores campeões do surf profissional, mas foi também o pilar de uma nova indústria, voltada para o verdadeiro estilo de vida da maioria dos apaixonados pelas ondas. O curioso é que, mesmo sem querer, ajudou a criar um segmento que atualmente emprega centenas de surfistas mundo a fora, loucos pra seguir os passos do mestre, a procura da onda perfeita, só que pagos pra isso.
Fonte: (Revista Fluir nº 288 – www.fluir.com.br)

segunda-feira, 19 de julho de 2010

UCI - MTB - WORLD CUP - DHI 4 - CHAMPÉRY - SUIÇA - 24 E 25 DE JULHO DE 2010

RESULTADO:
  • 1º Gee Atherton (GBR) - 25 - 4:02:19
  • 2º Greg Minnaar (RSA) - 29 - 4:04:98
  • 3º Brendan Fairclough (GBR) - 22 - 4:06:75
  • 4º Samuel Blenkinsop (NZL) - 22 - 4:07:00
  • 5º Damien Spagnolo (FRA) - 25 - 4:07:51
  • 6º Brook Macdonal (NZL) - 19 - 4:09:53
  • 7º Fabien Pedemanaud (FRA) - 26 - 4:12:53
  • 8º Aaron Gwin (USA) - 23 - 4:13:75
  • 9º Chris Kovarik (AUS) - 32 - 4:15:90
  • 10º Ruaridh Cuningham (GBR) - 21 - 4:15:94

RANKING:

  • 1º Greg Minnaar (South Africa) - 29 - 1.492
  • 2º Gee Atherton (Great Britain) - 25 - 1.391
  • 3º Aaron Gwin (United States) - 23 - 1.006
  • 4º Samuel Blenkinsop (New Zealand) - 22 - 948
  • 5º Steve Peat (Great Britain) - 36 - 878
  • 6º Brendan Fairclough (Great Britain) - 22 - 826
  • 7º Cameron Cole (New Zealand) - 22 - 804
  • 8º Samuel Hill (Australia) - 25 - 800
  • 9º Justin Leov (New Zealand) - 26 - 654
  • 10º Chris Kovarik (Australia) - 32 - 598

Assista direto da Suiça em Champéry ao vivo a UCI de DH.
.
http://freecaster.tv/live/mtb/1011052/uci-mtb-world-cup-dhi-4-champery

sábado, 17 de julho de 2010

ADRIANO DE SOUZA – MINEIRINHO


Wave tools surf consertos

ADRIANO DE SOUZA – MINEIRINHO

Mais novo campeão de uma etapa do brasileiro profissional, campeão do circuito Pro Trials (atual Brasil Tour) em 2003, mais novo campeão mundial Pro Jr em 2004, aos 16 anos e o mais novo campeão do WQS em 2005. O prodígio brasileiro estava no seu segundo ano de World Tour, com apenas 20 anos. Depois da derrota na repescagem do Quik Pro, em hossegor, dia 23 de setembro de 2007, Adriano disse, em tom de desabafo, que, se preciso, voltaria a disputar o WQS para voltar com mais força ao WCT. O simples fato de admitir que não estava bem na época, mostrou a rara maturidade desse garoto. Ele estava longe da reclassificação para o WCT, tinha competido em poucas etapas do WQS e só se classificaria com um milagre. Milagre, que, depois, acabou acontecendo com duas vitorias consecutivas no Brasil. Outro momento marcante da trajetória do Adriano: sua primeira vitoria em uma etapa do World Tour da ASP.

Agora sentindo-se mais em casa no WCT, virou uma liderança no tour e é presidente da WPS (world Professional surfers), entidade que representa os surfistas junto a ASP. Depois da merecida vitoria no país Basco, a comemoração foi moderada. Rolou apenas uma janta com os amigos, um brinde com champanhe e todos de volta para o hotel. Pois, no dia seguinte, a caravana do WCT seguiria para Portugal. A vitoria não deslumbra quem acredita no seu trabalho.

Carreira degrau a degrau
• Foi campeão do supertrials em 2003;
• Foi campeão mundial Pro Jr em 2004 com 16 anos;
• Foi campeão mundial do WQS em 2005;
• E no 4 ano de WCT conseguiu sua primeira vitoria, Mundaka Pro.
Objetivo final segue sendo o mesmo, ser campeão mundial do WCT, mas, para isso, eu sei que tenho muito o que aprender. Aprimorar mais a técnica surfando, as táticas de baterias, enfim, todo um aprendizado para daqui há 2 ou 3 anos, ser um surfista completo.
Tabelinha
• Gol de placa: vencer Kelly na semi do Mundaka Pro.
• Torcida brasileira: a melhor do mundo.
• Família: tudo.
• Amigo: suporte.
• Inspiração: relembrar os grandes mitos do surf.
• Onda: Guarujá.
• Comida: brasileira.
• Bebida: Red Bull.
Fonte: (Revista Solto nº 55 – www.solto.com.br)

quinta-feira, 15 de julho de 2010

A LOJA PANGLAÔ TEM PÉ QUENTE

Wave tools surf consertos
.
A LOJA PANGLAÔ TEM PÉ QUENTE
A Surfshop, Panglaô, de Porto Alegre, está abençoada. Imagine você que a Quiksilver lançou o primeiro relógio ecológico do mundo, o RAY. Este modelo é uma edição especial da Quiksilver com edição limitada a 1000 peças, todas numeradas no mundo todo e apenas 40 unidades para serem vendidas no Brasil. Veja como a Panglaô entrou nesta de uma forma surpreendente:
.
“O Panglaô é um cliente novo de Quiksilver e Roxy. Ele resolveu iniciar um trabalho com óculos e relógios. Ofereci o The Ray, mas nunca pensei que ele fosse querer em função do preço. Expliquei tudo e ele disse que queria ficar com o produto, mas só se fosse o número 1. Achei impossível já que somente 40 vieram para o Brasil e na empresa só tinha 12 peças. Liguei para Fernanda, (ela também achou impossível o n.1 estar em São Paulo), mas foi verificar. Logo em seguida ligou avisando que o n.1 estava lá e separado para o Rodrigo. Ninguém na empresa sabia que estavam com o n.1 e ele foi o único cliente que pediu. O No. 01 só existe no Panglaô, mas esse relógio tem também na Planeta Surf.” Explica Ana Cláudia, representante da Quiksilver no RS.
Confira algumas características do relógio Ray.
- 30% menos embalagem: feita de papel-cartão reciclado, sem suporte e filme plástico de proteção, o manual de instruções e a garantia são impressos com tinta à base de água em papel reciclado.
- redução de 80% na emissão de CO2 durante a produção: transporte por barco ao invés de avião e redução no peso pra reduzir emissão de carbono na atmosfera.
- materiais reciclados: feito com madeira de ébano de floresta sustentável, ou seja, quando eles cortam uma árvore, outra é plantada no local, aço e cristal mineral 100% recicláveis e livre de solventes.
- não possui bateria: o relógio se recarrega com o próprio movimento do braço.
- vida útil de 10 anos: contra apenas 18 meses para uma bateria comum.
A produção do RAY requer cerca de 7 meses, enquanto os outros relógios da Quiksilver necessitam menos de 4 meses. Isto se dá porque a maioria dos componentes do relógio são feitos a mão. Todas as fábricas são auditadas para garantir condições adequadas de trabalho e o respeito às legislações sociais e do meio ambiente.
Fonte: Revista Joice nº 34 – (www.juiceaessencia.com)

terça-feira, 13 de julho de 2010

4º ETAPA WT - BILLABONG PRO - J'BAY - SOUTH AFRICA - SUPERTUBES - 15 A 25 DE JULHO DE 2010

RESULTADOS:
  • 1º Jordy Smith (ZAF)
  • 2º Adam Melling (AUS)
  • 3º Bede Durbidge (AUS)
  • 3º Taj Burrow (AUS)
  • 5º Adriano de Souza (BRA)
  • 5º Sean Holmes (ZAF)
  • 5º Dane Reynolds (USA)
  • 5º Damien Hobgood (USA)

RANKING:

  • 1º Jordy Smith (ZAF) - 28.500
  • 2º Taj Burrow (AUS) - 24.750
  • 3º Kelly Slater (USA) - 23.500
  • 4º Dane Reynolds (USA) - 20.000
  • 5º Adriano de Souza (BRA) - 19.500
  • 6º Mick Fanning (AUS) - 19.250
  • 7º Bede Durbidge (AUS) - 18.750
  • 8º Bobby Martinez (USA) - 16.500
  • 9º Jadson Andre (BRA) - 16.000
  • 10º Joel Parkinson (AUS) - 14.750

Assista ao vivo direto de J-Bay a 4º Etapa do WT.
.
http://www.billabongpro.com/jbay10/live/pt/

segunda-feira, 12 de julho de 2010

5º ETAPA CAMPEONATO GAÚCHO DE DOWNHILL - FERRABRÁS - SAPIRANGA - 17 E 18 DE JULHO DE 2010

RESULTADOS:
Elite
  • 1º - 1 - Maicon Zottiz - ADHV - Nova Prata - 3:26:65
  • 2º - 47 - Gabriel Lanfredi - Voodoo DH - Porto Alegre - 3:40:25
  • 3º - 21 - Giavanni Oro - ADHV Phanton - Bento Gonçalves - 4:04:21
  • 4º - 294 - Giovani Gambato - Supreme Race - Caxias do Sul - 4:05:60
  • 5º - 209 - Felipe Spader - Unirace - Garibaldi - 4:05:97
  • 6º - 5 - Rafael Pereira - Bike Adventure - Canela - 4:08:58
  • 7º - 8 - Felipe Maia - AGMTB - Porto Alegre - 4:40:85
  • 8º - 2 - Daniel Cenci - Bike e Cia - Farroupilha - 5:04:58
  • 9º - 4 - Leonardo Griebeler - Unirace - Caxias do Sul - 5:07:94
  • 10º - 45 - Tiago Knorst - Bike e Cia - Nova Petropolis - 6:29:28

Sub 30

  • 1º - 265 - Rafael Colombo - Bike e Cia - Farroupilha - 4:12:65

Sub 23

  • 1º - 478 - Ivandro Simon - Bighill Extreme - Sapiranga - 3:55:15

Junior

  • 1º - 104 - Nathan Kamphorst - Unirace - Sapiranga - 3:53:68

Master A

  • 1º - 399 - Diogo Zanetti - ADHV - Bento Gonçalves - 4:02:88

Master B

  • 1º - 901 - Alexandre Lanfredi - Voodoo DH - Porto Alegre - 4:44:43

Juvenil

  • 1º - 585 - Gabriel Bissolote - EBNC - Carlos Barbosa - 4:56:89

Estreante

  • 1º - 763 - Marcelo Rech - Supreme Race - Caxias do Sul - 4:15:58

Rigida

  • 1º - 817 - Roger Lindem - Avulso - Nova Hartz - 4:45:36

Infanto Juvenil

  • 1º - 177 - Felipe Blumenthal - Pedalokos DH Scharlau - Sapucaia do Sul - 6:55:00

Master C

  • 1º - 601 - Danilo Spader - Unirace - Garibaldi - 4:04:41

Feminino

  • 1º - 89 - Franciele Silva - Pedalokos DH Scharlau - Torres - 13:25:01

CAMPEONATO GAÚCHO DE DOWNHILL 2010 – 5ª etapa
.
Downhill FERRABRÁS 17 E 18 DE JULHO DE 2010.
.
Ranking Brasileiro
.
SAPIRANGA
.
PROGRAMAÇÃO
.
SÁBADO 17 DE JULHO
.
08:30 h Treinos livres na pista/Inscrições abertas lembrando aos atletas que eles deverão confirmar sua inscrição antes de treinar.
12:00 h Encerramento das inscrições e treinos
14:00 h TOMADA TEMPO CLASSIFICATÓRIA
.
DOMINGO 18 DE JULHO
.
08:30 h Treinos livres
11:30 h Encerramento dos Treinos
13:00 h TOMADA DE TEMPO OFICIAL
16:30 h Premiação da prova

quinta-feira, 8 de julho de 2010

COPA DO MUNDO DE FUTEBOL 2010

A um mês começou a Copa do Mundo de Futebol, e neste domingo o mundo todo vai parar para assistir a final entre 2 times que nunca foram campeões.
Holanda x Espanha, um destas seleções vai ser pela primeira vez campeã mundial de futebol.
É Domingo as 15:30 na Rede Globo ou na Band.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

CAETANO VARGAS

Caetano Vargas venceu neste fim de semana, 04 de Julho de 2010, o Supersurf Intenational etapa 4 estrelas da ASP, em São Sebastião, São Paulo, Brasil, com pranchas Index Krown do Shaper Gilberto Nogueira e com quilhas colocadas por Émerson Iori (Wave Tools)

segunda-feira, 5 de julho de 2010

FEIRA DE VARIEDADES DA ESCOLA JÚLIO GRAU

Nos dias 6 a 9 de Julho de 2010
Na Av. Brino, 350
Das 9:00 as 17:00
Feira de variedades da Escola Júlio Grau
Entre algumas variedade estão os Piercings da Wave Tools