quarta-feira, 21 de julho de 2010

TOM CURREN

Wave tools surf consertos

TOM CURREN

É irônico o americano Tom Curren ter sido um dos primeiros surfistas de ponta a enveredar pelo lado mais soul do surf. Logo ele, criado como uma maquina competitiva da NSSA (National Schoolastic Surfing Association), no inicio da década de 80, um surfista de manobras mecânicas, executadas com perfeição, apoiado por pranchas espetaculares feitas por Al Merrick, que mudaram o conceito de atacar a onda.

Dono de uma linha de surf incomparável, moldada nas incríveis direitas de Rincon, Tommy possuía uma concentração única, que intimidava os adversários. Suas vitorias aumentaram a popularidade do surf nos Estados Unidos, atraindo verdadeiras multidões de fãs ávidos para ver o “Mr. America” em ação. Curren não decepcionou seus compatriotas ianques e faturou dois títulos mundiais consecutivamente, em 85 e 86, tornando-se o primeiro norte-americano numero um do mundo e quebrando uma hegemonia de seis anos de conquistas australianas. Porem, logo após a consagração, seu lado emocional frágil e sensível emergiu e ele começou a pôr em perspectiva tudo aquilo que fazia e conquistara.

Resolveu se fechar no seu mundinho e cada vez menos se importar com baterias e pressão.Essa fase durou três anos, quando de repente, do nada, voltou ao Circuito Mundial, vindo das difíceis triagens, para conquistar o tricampeonato em 1990, chocando a todos com performances estupendas, como se fossem intergalácticas. O tempo longe do cansativo Tour parecia ter renovado o espírito do Mestre do Estilo. Com o sucesso, as cobranças ficaram ainda maiores. E numa atitude ate hoje considerada mistura de imaturidade com genialidade e deboche, Tom Curren venceu seu único campeonato no Hawaii, em Haleiwa clássico, com ondas de 10 pés, com a prancha sem o logo do seu patrocinador. Numa performance que marcou época, Tom se livrava, talvez até sem querer, de todos os fantasmas que sempre o acompanharam.

Ali, se encerrava o mito Tom Curren campeão. Dispensando, abandonando e taxado como irresponsável, mais uma vez ele ficou recluso. O que poucos imaginavam é que um novo conceito de surf, incentivado logicamente pelo ex-patrocinador, tratou de recuperar Curren e usar sua imagem cool como o novo lema a empresa. Com o Slogan “The Search”, Tom uniu seus dotes artísticos e surfisticos e saiu rumo as melhores ondas do mundo, sem a preocupação de vitorias e pontos. Surfou pela primeira vez Jeffreys Bay, viajou com moleques talentosos e ansiosos para estar com uma das maiores lenda do esporte. Fez filmes, aumentou sua reputação de gênio e continua cultuado como o grande surfista de alma de sua geração. Tom Curren foi um dos maiores campeões do surf profissional, mas foi também o pilar de uma nova indústria, voltada para o verdadeiro estilo de vida da maioria dos apaixonados pelas ondas. O curioso é que, mesmo sem querer, ajudou a criar um segmento que atualmente emprega centenas de surfistas mundo a fora, loucos pra seguir os passos do mestre, a procura da onda perfeita, só que pagos pra isso.
Fonte: (Revista Fluir nº 288 – www.fluir.com.br)

Nenhum comentário:

Postar um comentário